segunda-feira, 24 de março de 2014

O que é Tuberculose?

A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

Causas

A tuberculose no geral é causada por uma infecção por Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK). Outras espécies de micobactérias também podem causar a tuberculose. São elas: Mycobacterium bovis, africanum e microti.

Sintomas de Tuberculose

Alguns pacientes não exibem nenhum indício da tuberculose, outros apresentam sintomas aparentemente simples que são ignorados durante alguns anos (ou meses). Contudo, na maioria dos infectados com tuberculose, os sinais e sintomas mais frequentemente descritos são:
  • tosse seca contínua no início, depois com presença de secreção por mais de quatro semanas, transformando-se, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue
  • cansaço excessivo
  • febre baixa geralmente à tarde
  • sudorese noturna
  • falta de apetite
  • palidez
  • emagrecimento acentuado
  • rouquidão
  • fraqueza
  • prostração.
Os casos graves de tuberculose apresentam:
  • dificuldade na respiração
  • eliminação de grande quantidade de sangue
  • colapso do pulmão
  • acumulo de pus na pleura (membrana que reveste o pulmão) - se houver comprometimento dessa membrana, pode ocorrer dor torácica.

Transmissão da tuberculose

A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa, portanto, a aglomeração de pessoas é o principal fator de transmissão. A pessoa com tuberculose expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo contaminando-o. Má alimentação, falta de higiene, tabagismoalcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da tuberculose.

PODE-SE PREVENIR A TUBERCULOSE?


Como já foi dito se não tiver o bacilo, não tem a tuberculose. Por isto, para prevenir a doença, é muito importante identificar rapidamente os pacientes com tuberculose para tratá-los logo, reduzindo a chance de contaminação do ar. E, se o ar não fica contaminado, evita-se a transmissão do bacilo para outras pessoas.

Mas, todo mundo sabe que a tuberculose está muito ligada à pobreza, mas é importante saber que isto acontece não pela pobreza em si, mas pelas condições de vida das pessoas empobrecidas. Elas são, por exemplo, e salvo algumas exceções, as que têm maior dificuldade em conseguir o atendimento adequado quando se sentem doentes e as que vivem em casas precárias.

Para prevenir a Tuberculose é importante melhorar as condições de habitação para diminuir a chance do contágio. Se há muitas pessoas dormindo no mesmo quarto, em casas mal ventiladas e onde não bate sol, o risco de contágio é muito maior.

Há também medidas de proteção individual, como a vacinação com BCG e a prevenção com remédio, que se chama quimioprofilaxia. A vacina BCG é aplicada no primeiro mês de vida e é capaz de prevenir as formas mais graves da doença, nas crianças.

A quimioprofilaxia, que consiste em tomar remédios por seis meses, está indicada para algumas pessoas que não estão doentes, mas que apresentam um grande risco de adoecer. É sempre indicada por um profissional de saúde, depois de uma consulta.


O QUE SENTE UM DOENTE COM TUBERCULOSE NO PULMÃO?

O sintoma mais freqüente da Tuberculose pulmonar no adulto é a TOSSE. Toda pessoa que apresente tosse que dure 3 semanas ou mais é chamada de SINTOMÁTICO RESPIRATÓRIO e deve ser encaminhada ao médico para pesquisa de Tuberculose. Outros sintomas são: febre (mais freqüente ao entardecer), suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento e cansaço fácil. O doente pode apresentar todos esses sintomas, mas pode ter somente uma tosse que às vezes até passa desapercebida. Muitas vezes as pessoas pensam que sua tosse é "comum", porque são fumantes, ou que é uma bronquite ou gripe mal curada, e não dão importância.


TUBERCULOSE PODE CAUSAR IMPOTÊNCIA?

A doença, em si, não. O que pode acontecer com a pessoa doente e enfraquecida é uma indisposição para o relacionamento sexual. Entretanto, com o tratamento adequado, os sintomas de fraqueza e indisposição desaparecem, possibilitando ao paciente retomar a sua vida normalmente.